NOVA YORK (Reuters) - Um salto mais acentuado do que o esperado nos preços ao consumidor dos Estados Unidos deixou os investidores em alerta máximo para mais sinais de pressão inflacionária, que poderiam levar o Federal Reserve a elevar os juros.

Vários investidores disseram que o relatório do índice de preços ao consumidor, divulgado na quarta-feira, não foi suficiente para levar o Fed a mudar seu curso. Mas as notícias, que alimentaram temores de que a economia está caminhando para uma inflação mais alta e sustentada, abalaram os mercados.

"A discussão é sobre se esse surto de inflação é transitório ou veio para ficar. E o tempo dirá. Acho que está aqui para ficar até que se veja os custos trabalhistas e os custos das commodities mitigarem parte", disse Peter Tuz, presidente do Chase Investment Counsel.

"Isso obviamente traz a ideia de que talvez o Fed tenha que mudar sua política monetária frouxa mais cedo do que o esperado."

Os principais índices de ações dos EUA terminaram em queda de cerca de 2% cada após o relatório do Departamento do Trabalho dos EUA mostrar que o índice de preços ao consumidor saltou 0,8% no mês passado, o maior ganho desde junho de 2009. A leitura do núcleo do índice, que exclui componentes mais voláteis, avançou 0,9%.

"Mais quente do que o esperado, mas sem superaquecimento", disse Gregory Daco, economista-chefe da Oxford Economics em Nova York, sobre a economia. "O Fed não vai mudar a política monetária com um único relatório, então eu não esperaria que isso fosse um fator determinante."

Os investidores estão voltando sua atenção para os próximos relatórios econômicos que podem preencher o quadro da inflação, especialmente os dados sobres os preços ao produtor dos EUA de abril, nesta quinta-feira. Os economistas esperam que a inflação no atacado suba, como ocorreu em março.

As vendas no varejo de abril, a produção industrial e os números de estoque empresarial serão divulgados na sexta-feira.

A questão entre os investidores é: "Por quanto tempo os juros ficarão no fundo do poço?", disse Quincy Krosby, estrategista-chefe de mercados da Prudential Financial.

"Uma divulgação de dados não vai mudar a posição do Fed", disse ela. Mais números serão necessários para que isso aconteça, incluindo "dados que sugerem uma permanência da inflação mais alta e custos mais altos. Não estamos lá. Ainda estamos no estágio de recuperação."

Fonte: Investing