O fundo Bitcoin Trust da Grayscale (GBTC), que já está sendo negociado a um desconto por quase três meses, atingiu uma nova baixa recorde nesta quinta-feira (13).

O desconto do GBTC atingiu 20,48% — seu ponto histórico mais baixo, de acordo com dados compilados pelo The Block. O desconto significa que o preço de mercado das ações do GBTC está 20% mais baixo do que seu valor

GBTC começou a ser negociado com desconto no fim de fevereiro. Existem diversos fatores por trás da queda do GBTC, incluindo novos produtos no mercado, como os fundos negociados em bolsa (ETFs) de bitcoin no Canadá.

Recentemente, o contínuo desconto do GBTC fez com que a empresa de gestão de investimentos Marlton, que possui uma quantidade considerável das ações do GBTC, a escrever uma carta aberta à Grayscale.

Marlton pediu que a Grayscale realizasse uma oferta de aquisição de suas ações, já que o desconto resultou em altos prejuízos para investidores.

DCG está comprando diversas quantias das ações do GBTC
No início deste mês, Digital Currency Group (DCG), a empresa-mãe da Grayscale, anunciou planos de comprar mais US$ 500 milhões em GBTC, aumentando seu limite total para US$ 750 milhões. Em 30 de abril, o grupo adquiriu US$ 193,5 milhões equivalentes a ações GBTC.

Especialistas de mercado afirmaram que a melhor solução para a Grayscale seria converter o GBTC em um ETF de bitcoin.

Recentemente, a empresa disse que está “100% comprometida” em transformar o GBTC em um ETF de bitcoin, mas Michael Sonnenshein, CEO da empresa, disse que o ambiente regulatório americano ainda não está pronto.

Reguladores americanos ainda precisam aprovar um ETF de bitcoin no país. Recentemente, a Comissão de Valores Mobiliários e de Câmbio dos EUA (SEC) adiou sua decisão sobre uma proposta de ETF da VanEck.

Nesta quinta-feira (13), a Grayscale anunciou ter enviado um formulário à SEC para seu produto Digital Large Cap Fund (GLDC). Iria designar o GLDC como o terceiro produto de investimento cripto da Grayscale como uma empresa que responde à SEC, após do GBTC e do Ether Trust (ETHE), nos EUA.

Fonte: Money Times