O gigante de serviços bancários Citigroup está considerando lançar serviços de negociação, custódia e financiamento cripto.

Itay Tuchman, presidente global de câmbio estrangeiro do Citi, disse ao The Financial Times, em um informe publicado nesta sexta-feira (7), que o banco percebeu um acúmulo “muito rápido” de interesse em bitcoin por parte de grandes clientes, desde agosto de 2020.

“Pela nossa perspectiva, há diferentes opções e estamos considerando em quais delas podemos servir melhor os clientes. Esta não será uma tentativa de negociação por conta própria”, disse Tuchman, se referindo ao processo em que bancos negociam com seu próprio dinheiro para obterem lucro.

No entanto, o grupo Citi afirmou que não tem pressa para lançar os serviços cripto. Tuchman disse que o banco entrará no setor quando estiver confiante de que poderá criar algo que beneficiará os clientes e que os regulares poderão aprovar.

“Não tenho medo de FOMO [‘de perder uma oportunidade’], porque acredito que cripto está aqui para ficar e que nós estamos somente no início desse mercado”, disse ele. “Esta não é uma disputa por espaço. Há lugar o suficiente para mais de uma bandeira.”

Em março, o Citi publicou um informe em que dizia que bitcoin poderia se tornar “uma moeda de troca internacional” à medida que evolui.

“Percepções sobre o que torna o bitcoin importante continuam a evoluir e a criar novas oportunidades, ao mesmo tempo em que aumentam sua percepção de se tornar dominante”, afirmou o banco na época.

O Citi é a mais recente instituição financeira a considerar a entrada no mercado cripto. Recentemente, Goldman Sachs, Morgan Stanley, Bank of New York Mellon e outros tomaram iniciativa para fornecer serviços cripto a seus clientes.

Fonte: Money Times