Europa: ações fecham em queda com mineração e tecnologia pressionadas por yields mais elevados


As ações europeias encerraram em queda nesta quinta-feira, com nova alta nos yields dos Treasuries golpeando o apetite por risco, enquanto papéis dos setores de mineração e tecnologia lideraram as perdas.

O índice pan-europeu STOXX 600 caiu 0,4%, com o índice de empresas mineradoras o de maior queda entre os setores europeus.

Rio Tinto e BHP Group, com forte peso no índice de ações de Londres, recuaram 7,7% e 5,8%, respectivamente, operando “ex” após anúncio da distribuição de dividendo.

As ações de tecnologia, que levantaram o mercado das mínimas da pandemia, caíram 3,3%, com a escassez global de semicondutores pesando sobre o setor, enquanto uma elevação nos yields dos títulos também estimulou mais escrutínio sobre ações com elevados “valuations”.

“Embora se possa entender por que os investidores estão preocupados com os ‘valuations’ nos Estados Unidos, particularmente no setor de tecnologia… o mesmo não pode ser dito na Europa, onde os ‘valuations’ estão muito mais baixos”, escreveu Michael Hewson, analista-chefe de mercado da CMC Markets.

Ao contrário dos mercados acionários norte-americanos, o índice STOXX 600 ainda não atingiu as máximas de antes da pandemia, já que uma nova rodada de lockdowns e lento crescimento econômico interromperam uma recuperação inicial das mínimas atingidas em março de 2020.

Em Londres, o índice Financial Times recuou 0,37%, a 6.650,88 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,17%, a 14.056,34 pontos.

Em Paris, o índice CAC-40 ganhou 0,01%, a 5.830,65 pontos.

Em Milão, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,20%, a 23.093,10 pontos.

Em Madri, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,30%, a 8.354,00 pontos.

Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,54%, a 4.648,64 pontos.

Fonte: Money Times