PEQUIM (Reuters) - A China registrou um aumento no número de novos casos do coronavírus nesta sexta-feira, com mais de 200 pessoas testando positivo para a doença em duas prisões fora da província de Hubei, epicentro da epidemia.

Enquanto autoridades tentavam impedir o surto na China de se tornar uma pandemia global, líderes financeiros das 20 maiores economias do mundo, que se reúnem na Arábia Saudita no fim de semana, devem discutir os riscos para a economia global.

A China tem mais de 75.400 casos de coronavírus e 2.236 pessoas morreram da doença causada por ele, a maioria na província de Hubei e em sua capital Wuhan, onde o vírus surgiu em um mercado de animais silvestres em dezembro.

As bolsas de valores da Ásia caíram nesta sexta por temores de disseminação da doença, que levou os investidores a buscarem abrigo em ativos norte-americanos, levando o dólar a seu maior patamar em três anos.

Japão e Cingapura estão à beira da recessão e na sexta-feira a Coreia do Sul disse que suas exportações para a China caíram nos primeiros 20 dias de fevereiro.

A China continental registrou 889 novos casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus, disse a Comissão Nacional de Saúde do país, um aumento de 394 casos em relação aos dados da véspera. O número de mortos aumentou em 118, a maioria em Wuhan, que permanece virtualmente isolada.

As infecções detectadas em duas prisões --nas províncias de Shandong, no norte do país, e de Zheijang, no leste-- responderam pela maioria dos 258 novos casos registrados fora de Hubei.

Depois de vários dias de sinais encorajadores no combate ao vírus, o jornal do Partido Comunista Chinês alertou que seria um erro imaginar que já se pode enxergar a vitória.

"Se nos entregarmos à auto-confiança cega, a epidemia pode se recuperar e o vírus se aproveitar de nós quando estivermos com a guarda baixa", disse o jornal.

O vírus também infectou pessoas em cerca de 26 países e territórios fora da China continental, com 11 mortes, de acordo com levantamento da Reuters baseado em comunicados oficiais.

Fonte: https://br.investing.com/