A ligação entre a tecnologia blockchain e a nova rede de conectividade mundial, o 5G, assim como aplicações voltadas para Internet das Coisas (IoT) vai criar uma nova economia de valor na qual os dados serão o novo 'petróleo' mundial, revelou um novo estudo realizado pelo IBM Institute of Business Value (IBV), por meio do seu Estudo de Economia Blockchain.

O estudo realizou entrevistas com mais de 1.000 pessoas de negócios e tecnologia, e reuniu os cinco principais temas para 2020 destacando quais são os principais desenvolvimentos que a tecnologia, iniciada com o Bitcoin, deve conquistar nos próximos anos até estar 'totalmente' inserida no cotidiano das pessoas.

No caso do 5G, que no Brasil só deve ser disponibilizado nos grandes centros em 2021, ele se combinara com blockchain para criar uma vantagem competitiva ainda maior, segundo o estudo. Desta forma, os dados mais confiáveis de blockchain irão informar melhor e fortalecer os algoritmos. Blockchain ajudará a manter esses dados seguros e auditará cada etapa do processo de tomada de decisão, permitindo uma visão mais precisa, impulsionada pelos dados confiados pelos participantes da rede.

"Agora que as soluções blockchain estão capturando milhões de pontos de dados e fazendo sentir sua presença em todo o mundo, elas estão abrindo a porta para novas capacidades. Tecnologias adjacentes como internet das coisas (IoT), 5G, inteligência artificial (IA) e Edge Computing, para citar algumas, irão combinar-se com blockchain para gerar valor agregado para os participantes da rede. Por exemplo, espera-se que as soluções blockchain se combinem com Internet das Coisas e IA para se tornarem os principais aceleradores dos mercados habilitados para blockchain no futuro.

A IBM destaca também que surgirão modelos de governança pragmáticos, desta forma, com a maior adoção do blockchain se aproximando, a governança se tornará um fator chave. No entanto, a criação de um modelo de governança no qual todos os participantes concordem pode ser um desafio. De fato, foi visto que 41% das organizações acreditam que a falta de padrões uniformes de governança entre parceiros é o desafio mais importante para avançar sua prova do conceito (PoC) de Blockchain ou ecossistema mínimo viável (MVE).

"Em 2020, começaremos a ver novos modelos de governança que permitem que grandes e variados consórcios tratem da tomada de decisões, permitam esquemas e até pagamentos com mais eficiência", destaca.

Além disso, segundo a empresa que é uma das principais difusoras da solução em blockchain Fabric, do consórcio Hyperledger, o sucesso do blockchain depende da colaboração de várias partes. Mas, com o potencial de dezenas, centenas ou até milhares de participantes em uma rede, não podemos esperar que cada parte de uma rede use o mesmo provedor ou incorpore um novo ambiente de computação para um único aplicativo. Mesmo assim existe uma necessidade excepcional das empresas de compartilhar dados sem problemas.

"Portanto, não é possível pensar em blockchain sem a nuvem. Aliás, sem o uso de uma nuvem que seja híbrida e multi-cloud, o que permite a todos os atores da cadeia selecionar a plataforma blockchain sem depender da infraestrutura na qual seus dados estão hospedados. Hoje, IBM Blockchain está aberta e disponível em qualquer lugar. Blockchain deve permitir a facilidade de utilização de tudo o que as empresas necessitam, em ambientes híbridos de nuvem, multi-cloud e locais; e, desta forma, fazer com que a tecnologia permita a transformação das empresas e indústrias", disse.

Ainda de acordo com o estudo, 88% das instituições acreditam que garantir padrões de comunicação de dados para as redes blockchain é um fator importante para que toda a indústria se junte a uma rede blockchain. Sendo assim, "confiança e transparência são essenciais", mas em um mundo onde os dados são coletados e transferidos mais rápido do que nunca, entende-se que haverá inconsistências nesses dados, seja devido a erro humano, seja por causa de pessoas mal-intencionadas.

"Com a necessidade de mais mecanismos de proteção de dados, este ano as soluções de blockchain usarão ferramentas de validação junto com os mecanismos de criptografia e IoT, que ligam os ativos digitais ao mundo físico injetando dados externos nas redes. Isto melhorará a confiança e eliminará a dependência da inserção manual de dados, que muitas vezes são propensas a erros e fraudes".

A IBM tem sido uma das gigantes globais de tecnologia que mais tem abraçado a inovação proposta pela tecnologia blockchain e, como noticiou o Cointelegraph, recentemente, anunciou uma parceria com a Farmer Connect - uma organização comprometida em aumentar a transparência e a sustentabilidade nas cadeias de suprimentos agrícolas - para construção de um aplicativo baseado em blockchain que permite aos consumidores aprender sobre os grãos de café que compram.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/